domingo, 4 de fevereiro de 2018

Agora toda minha família usa Linux

Comecei a usar Linux em 2016 quando aprendi a instalar o Ubuntu por contra própria. Lembro perfeitamente da minha felicidade ao ver todas as possibilidades de personalização, eu vivia trocando de interface gráfica. No Windows eu não tinha todas aquelas possibilidades, tinha que ficar limitado apenas à interface padrão do sistema. O linux cativou-me de tal modo que não tive mais interesse em voltar a usar o Windows - às vezes tenho que usar algumas aplicações que só estão disponível por lá, mas fora isso...

Em paralelo a isso, minha família continuou usando o Windows 7, simplesmente por comodidade. Foi esse o sistema que eles sempre usaram e nunca tiveram problemas com ele, então não tinha porque mudar de sistema - até então.

Nunca tive problema com vírus no Windows, apesar de nunca ter gostado de usar antivírus - eles só deixam a máquina mais lenta. Minha família igualmente, mas isso estava prestes a mudar.

Algum ser que não sei de onde apareceu, conectou um pendrive infectado com o vírus do pendrive - que transforma os arquivos em atalhos - e então o Windows ficou com o tal vírus. Vi meus familiares reclamando sobre e de imediato eu já sabia que se tratava do famoso vírus do pendrive, mas ao contrário do que pensava, não sairia nada fácil removê-lo.  Passei todo tipo de antivírus, desinstalei os aplicativos duvidosos, voltei para um ponto de restauração anterior porém nada disso resolveu, o desgraçado continuava escondido lá, bastava conectar um pendrive que automaticamente os arquivos ficava corrompidos - Não apenas viravam atalhos, ficavam inelegíveis.

A única solução que me restava era formatar a máquina, e foi o que fiz. Instalei o Windows novamente e fiz novos testes com os pendrives - tive que formatá-los antes, é claro. Mas não é que o maldito vírus continuo e corrompeu todos os arquivos dos pendrives novamente(!). Fiquei puto e deixei o computador de lado por uns dias. 

Então falei com meu padrasto sobre o Linux. Disse que o vírus do pendrive não funciona nele e que é um sistema bem mais seguro para olhar a internet - resumidamente é o que eles fazem. 
Bom, ele aceitou testar o Linux. Instalei o sistema e deixei tudo lisinho, coloquei o Google Chrome - que para eles é a internet - e deixei tudo sincronizado com a conta Google do meu padrasto. Deixei-os conhecendo o sistema por um tempo e depois perguntei o que acharam.

- É difícil de usar?

- Não, até parece com o outro (windows), tá até mais rápido para ligar.

E assim convenci o restante da minha família a usar Linux, até o momento estão gostando. E meus problemas acabaram por aqui, os pendrives estão funcionando novamente e não preciso mais me preocupar em desinstalar aqueles aplicativos que sempre acabavam instalando quando tentavam baixar uma música nova. Instalei uma versão LTS, então só terei "problemas" novamente daqui a alguns anos...


Recomendo que façam o mesmo, se seus familiares usam apenas internet e aplicativos que também estejam disponível no Linux, instalei alguma distribuição e espere as respostas. Muito provavelmente irão gostar...




Compartilhe: