27/04/2018

Li 1984

Já fazia um bom tempo que 1984 encontrava-se na minha lista de próxima leitura. Por se tratar de um livro escrito a trocentos anos atrás acabava associando-o a um livro difícil - no entanto ele é bem acessível e quando dei início à leitura não consegui deixá-lo de lado.
Bom, acredito que 1984 dispensa qualquer apresentação. Trata-se de um grande clássico que deveria ser apreciado por todos.
Nele é retratado a vida do Winston Smith, que trabalha para o governo no ministério da verdade - que por sinal de verdade não tem nada.
A função do Winston Smith é editar artigos, revistas, livros ou qualquer outra coisa que vá contra o interesse momentâneo do partido.
O partido que é retratado no livro seria uma espécie de comunismo, onde tudo fica nas mãos do estado. No entanto o INGSOC é muitooo mais totalitário, controlando a vida de todos nos mais ínfimos detalhes.
Em praticamente todas as casas existe uma teletela, que é semelhante à uma TV, porém nelas há câmeras e microfones que vigiam os cidadãos a todo momento - mas diferentemente do Big Brother da Globo, não tem essa de usar lençol pra vestir a roupa. O partido sabe tudo, sobre todos!
As Teletelas lembraram-me de uma matéria que li há um tempo sobre a vida na Coréia do Norte. Segundo tal artigo, lá só existe uma estação de rádio do governo e que deve estar sintonizada a todo momento nas casas.
Entretanto a vigilância do Grande Irmão não se limitava apenas às casas. Há microfones e câmeras em tudo que é lugar. Muitos não sabem, mas é justamente deste livro que saiu aquela famosa frase:
O Grande Irmão está observando você

O Big Brother da Globo é claramente uma cópia do livro, mas muito mais...é...ruim
Impressiona-me o fato de muitas pessoas gostarem de programas do tipo... mas enfim...
Outra coisa que chamou muito minha atenção no livro foi o Novilíngua. Basicamente o partido tem controle sobre tudo, inclusive a língua. Com isso eles lançam regularmente atualizações do dicionário, removendo verbos e afins para dificultar que as pessoas possam expressar o que sentem. Chegaria um momento que não teriam mais como verbalizar o que sentiam - menos a ira contra os inimigos.
O grande irmão não almejava apenas o controle, ele queria mais, queria ser o absoluto. 

No livro também há o conceito do Duplipensar.
’’Pensamento duplo indica a capacidade de ter na mente, ao mesmo tempo, duas opiniões contraditórias e aceitar ambas.’’ Mesmo que a verdade estivesse na sua frente, seria incapaz de interpretá-la. 


Voltando à espionagem...No livro, como falei anteriormente, existe as Teletelas, que são por onde o governo espiona os cidadãos. Convém lembrar que 1984 foi escrito na década de 40, então nem se imaginava que um dia teríamos computadores e celulares. Hoje, seria infinitamente mais fácil ter absoluto controle sobre a vida de todos. Não precisaríamos de Teletelas, sendo que temos câmera e microfone a todo momento conosco dentro do bolso. 

Muitos pensam que espionagem faz parte apenas de governos comunistas, quando na verdade o país da liberdade vive espionando o mundo usando como justificativa que precisa combater os terroristas. Mais engraçado ainda é ver pessoas defendendo medidas de espionagem porque não têm nada para esconder. Digo uma coisa. Falar que podem espionar você porque não tem nada para esconder é o mesmo que aceitar que tirem o seu direito de falar porque não tem nada para dizer. 

1984 é um grande clássico e pode ser encontrado facilmente na internet (aliás, não sei se ele já está em domínio público...então não colocarei o link só pra previnir)


Até mais, pessoal!