10/07/2018

A importância de escrever um diário

Escrever um diário é uma atividade que todos conhecem por conta dos filmes e desenhos animados que geralmente mostram a imagem de meninas jovens falando sobre seus namorados e amigas. No entanto, falar sobre si mesmo é algo que vai muito além do que é mostrado em filmes e eu diria que poderia ser uma das coisas que, se bem usada, vir a mudar completamente a vida de uma pessoa.


O hábito de escrever diário entrou na minha vida em 2012 quando ainda tinha 13 anos de idade. Naquela época, costumava assistir um desenho animado chamado Doug Funnie que passava na TV Cultura à tarde. Lembro que ficava muito empolgado com a ideia de ter um caderno onde todas as noites iria registrar tudo aquilo que fiz com amigos na escola. Quando via o Doug viajando nos pensamentos e escrevendo suas aventuras me empolgava mais e mais. Não tardou muito para eu estar nos pés da minha mãe pedindo um caderno novo. 

No início eu costumava falar sobre a escola e as minhas voltas de bicicleta que fazia com amigos em tempo livre. Eram momentos tão singelos mas que ao mesmo tempo têm um valor imensurável quando paro para relembrar aquilo novamente. 
Os amigos que tínhamos, os momentos que passamos com aqueles que amávamos e que hoje estão distantes é apenas uma das inúmeras vantagens de escrever um diário.

Após alguns anos escrevendo puramente sobre o que fazia no meu dia a dia, comecei a falar sobre mim mesmo nos meus cadernos. Escrevia sobre meus pensamentos, como enxergava as coisas ao meu redor, meus anseios. Foi nesse ponto que pude perceber com meus próprio olhos o quanto eu tinha para falar. Os meus cadernos viraram o meu refúgio onde podia falar exatamente sobre aquilo que desejava sem ser taxado de isso ou aquilo.

Em pouquíssimo tempo pude começar a perceber o quanto eu mudava. Eu diria que foi por conta do diário que passei a ser uma pessoa mais ponderada, no sentido de não fazer nada antes de pensar sobre. As reflexões que costumava fazer, apesar de superficiais para um garoto na adolescência, ajudaram-me muito e formaram o que sou atualmente. 

Quando fazia algo de errado durante meu dia era "obrigado" a falar sobre aquilo à noite e com isso - mesmo sem querer às vezes - percebia claramente os meus erros e o que poderia fazer para costurá-los. Com isso tornei-me uma pessoa menos imediatista. 

Escrever sobre aquilo que vemos acontecer ao nosso redor nos torna uma pessoa com uma visão mais detalhada e com uma capacidade de perceber aquelas coisas que muitas vezes passam despercebidas. O que não é falado, o que não é visto, no meu diário sempre é levado em consideração.

Se eu pudesse dar um único conselho para alguém sem dúvida seria: Escreva sobre você mesmo e veja o quanto tem para aprender olhando para dentro de si. 



Como começar um diário?


Quando comecei a escrever costumava usar cadernos pequenos porque eram fáceis de guardar em qualquer lugar e poderiam ser escondidos com mais facilidade. Porém à medida que crescia sentia uma necessidade cada vez maior de privacidade pois comecei a falar sobre aquilo que sentia e por isso poderia ser muito constrangedor caso alguém encontrasse meus cadernos. 

Foi então que troquei os antigos cadernos pelo digital e passei a escrever unicamente no computador. 
No entanto, antes disso, insisti em dar continuidade com os cadernos com o desenvolvimento de uma criptografia simples de substituição. Passei algo em torno de um ano escrevendo mediante essa criptografia mas depois percebi que estava trocando seis por meia dúzia.

Eis a criptografia

Qualquer um com um tempinho livre poderia quebrar a minha criptografia e o simples fato de usá-la poderia vir a ser um atrativo a mais para que ficassem curiosos. Foi então que resolvi abandonar de vez os diários físicos e aderi unicamente ao digital. 

Para muitos, escrever no papel continua sendo uma atividade prazerosa mas para quem está começando arrisco dizer que não é a melhor opção.

Escrever um simples relato torna-se um grande problema pois a velocidade de escrita é muito inferior em comparação com o que conseguimos com um computador ou até mesmo um celular. A segurança das informações é outro fator decisivo pois como falei, mesmo com o auxílio de criptografias, não conseguirá muita coisa usando papel e caneta. 

Portanto, acredito que acima de tudo escrever um diário sobre aquilo que fizemos e sentimos é algo muito particular para ficar tão acessível a qualquer um. 

O que recomendaria seria usar aplicativos, tais como o Evernote, para escrever com segurança e ao mesmo tempo ter acesso a tudo na palma da mão. 

O meio digital permite que criemos textos muito mais imersivos por permitir que coloquemos fotos, vídeos, áudios e afins para deixarmos tudo mais rico. Diria que as chances de uma pessoa acabar desistindo de escrever um diário usando o meio digital seria muito mais baixas em comparação com os diários físicos, até porque, escrever pelo celular é infinitamente mais prático que parar em um lugar fixo.