domingo, 6 de janeiro de 2019

A falta que o Windows Phone fará

O Windows Phone deu as caras um pouco mais tarde que o Android e o IOS. Isso sem sombra de dúvida implicou em toda a trajetória do sistema operacional. Mesmo com essa desvantagem inicial, ao longo dos anos o sistema móvel da Microsoft conseguiu amontoar uma grande quantidade de fãs e arrisco dizer que isso deu-se por conta da mesmisse que havia entre os sistemas operacionais aliado também ao fato dos aparelhos de baixo custo da Microsoft terem um melhor desempenho em comparação ao Android. 

Para a tristeza de muitos, em 2017 a Microsoft anunciou o fim do suporte ao Windows Phone 8.1, aquele que até então foi a versão mais usada do sistema. O primeiro passo da empresa evidenciando o fim trágico daquele que por anos foi um ótimo sistema operacional.

Lembro perfeitamente que quando saiu a notícia por parte da Microsoft sobre a descontinuidade da versão 8.1 muitos comemoraram com entusiasmo o iminente fracasso do sistema. Muito antes o Windows Phone de certa forma já havia sido abandonado por parte da Microsoft. Não havia atualizações e muito menos a esperança de possíveis melhorias futuras. Estava realmente jogado às traças e já não foi novidade nenhuma a notícia. 
 
Mesmo assim, o sistema continuava sendo muito utilizado sobretudo em mercados emergentes como o do Brasil pelo simples fato dos aparelhos da Microsoft oferecem um melhor desempenho em comparação ao Android em aparelhos da mesma faixa de preço.
O último suspiro que resta é o fracasso embrionário do Windows Phone 10, versão essa que a Microsoft quis a todo momento impor a todos. E para os aparelhos que não fossem compatíveis com a versão, fodam-se. Foi exatamente essa a atitude da empresa. 
 

A falta que o Windows Phone fará, até mesmo para aqueles que nunca pegaram em um aparelho da marca, é a total dominância do mercado de sistemas operacionais móveis por dois sistemas; O Android e IOS. Não é saudável para o mercado como um todo a falta de concorrestes, isso todo mundo já sabe. 

Foi muito incoerente muitos comemorarem a morte do Windows Phone pois inclusive esses mesmos serão afetados. O que motivou toda essa euforia de novidades de 2010 pra cá foi sem sombra de dúvida o embate entre os sistemas para ver quem seria o dominante. Ter agora duas opções apenas tornará o mercado cada vez mais estático e mais do mesmo.
Compartilhe: