13/03/2019

Nano é melhor que o Bitcoin


Em 2014, cinco anos após a rede do Bitcoin ter entrado em funcionamento, surgia uma criptomoeda inovadora que carregava consigo uma tecnologia até então não tão conhecida chamada DAG. Nomeada RaiBlocks, tinha um nome não tão atraente mas que contribuiu para catapultar uma nova geração de criptomoedas mais rápidas e que não dependem de um monstruoso poder computacional inerente ao Bitcoin.


No início de 2018, logo após a alta histórica da RaiBlocks onde chegou a 34 dólares, a equipe do projeto resolveu alterar o nome da moeda para Nano, o que para eles soava bem mais simples e que sem dúvida iria contribuir para a divulgações do projeto dentro dos próximos anos. Nano então entrou na boca do público mainstream como a moeda que substituiria o Bitcoin por ser uma tecnologia nova que permitia transações praticamente instantâneas, zero taxas e escalabilidade infinita limitada apenas ao hardware dos equipamentos que rodam.

Passaram-se alguns meses e cá estamos já no início de 2019. O Bitcoin continua com a sua hegemonia e a Nano não teve avanços significativos em adesão. Porém isso não quer dizer que a Nano não é superior ao Bitcoin.

Primórdios do Bitcoin

Quando o Bitcoin começou a receber notoriedade entre o público libertário, muitos usavam da parte teórica da moeda para falar que o Bitcoin seria a nova moeda e que em um futuro todos iriam usá-la e com isso fugiriam das garras do estado. Porém o que vimos acontecer na última grande alta evidencia que os libertários estavam errados com relação ao Bitcoin. Não, ele NÃO pode substituir a moeda atual como muitos acreditaram anos atrás. 

A limitada taxa de transação por segundo do Bitcoin - algo em torno de 7 - tira-o completamente da jogada quando pensamos em um futuro onde as criptomoedas seriam utilizadas como meio de pagamento. É certo que já há algumas possíveis soluções em cima da mesa, no entanto implementá-las é um processo extremamente complicado haja vista a disparidade que há entre os mineradores - possivelmente novos forks do Bitcoin surgirão quando tentarem implementar alguma mudança drástica.


A Nano tem todas as qualidades que os libertários apontavam no Bitcoin

Diferentemente do Bitcoin, a Nano tem todas as características suficientes para abarcar um número absurdo de transações. O que os libertários idealizaram com o Bitcoin só é possível com a tecnologia que está por trás da Nano. Já ficou claro para todos que a segurança da rede do Bitcoin - baseada no poder computacional - não é nada eficiente.

Mas se existem muitas outras criptomoedas superiores ao Bitcoin por que então este continua inerte na primeira posição? Bom, o que vem primeiro acaba se consolidando. Já há muito sabemos que os humanos não gostam de mudanças e que preferem continuar naquilo que funciona, mesmo sabendo que existem alternativas melhores. Vide por exemplo o famoso caso do WhatsApp e Telegram. Apesar deste último ser superior em muitos aspectos - armazenamento na nuvem, grupos maiores, cliente para desktop, nome de usuário ao invés de número pessoal, etc. - continuam no enfadonho WhatsApp.

Muitos estão dentro do Bitcoin e não é do interesse destes que uma nova moeda venha a acabar com a hegemonia do mesmo. Por isso que já há algumas possíveis soluções para o problema de escalabilidade do Bitcoin em cima da mesa.

A Lightning Network é uma das possíveis soluções para o Bitcoin, porém até lá é um grande percurso a ser percorrido. E ao invés de implementar gambiarras a uma tecnologia já mostrada ser um monstro consumidor de energia - A rede do Bitcoin hoje consome mais energia que muitos países - porque não aderirem à uma tecnologia que no seu cerne já tem todas as soluções para os problemas atuais do Bitcoin?

A Nano tem um propósito!

Quando houver uma nova grande alta no mercado de criptomoedas, o mesmo problema de escalabilidade e taxas de transações absurdas do Bitcoin entrará em discussão e nesse cenário a Nano surgirá de trás das nuvens como a solução. Portanto acredito piamente que a Nano abarcará um grande mercado dentro de um ou dois anos.

O que o Telegram faz - envio e recebimento de mensagem - o WhatsApp também faz. No caso do Bitcoin e Nano a disparidade entre as duas é gigante. O básico - envio e recebimento - fica inviável no Bitcoin quando a rede está congestionada e as taxas se tornam impraticáveis para mero mortais. Já na Nano esse tipo de problema não acontece.