segunda-feira, 8 de abril de 2019

ZeroNet - Uma rede genuinamente descentralizada

A internet é uma rede global de computadores e redes interligadas entre si que mediante protocolos conversam uma com as outras e formam o que conhecemos hoje por internet. Grandes empresas privadas e públicas atuam dentro da rede disponibilizando serviços e unindo muitos usuários através de gigantes datacenter que funcionam como grandes galpões, armazenando tudo aquilo que criam dentro da rede. 

Em essência a internet é sim descentralizada. Quando foi concebida na época da guerra fria, temia-se muito uma guerra nuclear súbita e diante de um cenário tão sórdido como esse, uma rede que poderia funcionar mesmo quando determinadas rotas fossem obstruídas era algo extraordinário.
Qualquer computador conectado à internet pode funcionar como um cliente e também como servidor, porém o que ocorre é que cada vez mais a internet fica concentrada nas mãos de algumas poucas empresas que, sozinhas, conseguem abarcar grande parte do tráfego da rede. 

Isso já era algo previsível e não há vilões na história. A forma centralizada de oferecer serviços sem dúvida alguma é ainda a mais eficiente e empresas gigantes continuarão a suprir a demanda sempre crescente de pessoas querendo cada vez mais agilidade. O problema real se encontra quando essas gigantes impõem novos formatos goela abaixo para todas as outras - algo semelhante com que o Google anda fazendo com o AMP no E-mail.

A beleza da internet está justamente na sua inerente descentralização e quando isso começa a ser ameaçada - mesmo que inutilmente - por governos e empresas monopolistas, é bom saber que existem por aí muitos projetos de redes descentralizadas sem pontos centrais onde todos da rede são verdadeiramente livres para acessarem e produzirem o que quiserem, tendo a certeza que não serão censurados por terceiros. 


ZeroNet
A ZeroNet é uma rede descentralizada criada em 2015 que funciona exatamente como uma rede peer-to-peer, onde todos os participantes da rede atuam tanto como cliente como também como servidor, disponibilizando o conteúdo que estão acessando no momento para outras pessoas. O funcionamento da rede é o mesmo da rede do BitTorrent e inclusive é usada na ZeroNet exatamente a mesma tecnologia para tornar o acesso ao conteúdo muito mais rápido - ou seja, quanto mais gente usar a ZeroNet, teoricamente mais rápido ficará o acesso aos sites.

A rede não utiliza o sistema de domínios que estamos habituados - o famoso WWW.matheusalexandre.com - e todo site na rede é identificado por sua respectiva chave pública, exatamente a mesma tecnologia que é usado no Bitcoin para assinar transações. O que significa que um detentor de um site dentro da ZeroNet só poderá gerenciá-lo mediante sua chave privada, que, como sabem, é praticamente impossível de ser quebrada mediante meios convencionais de ataques.

zeronet descentralizada
Ao atualizar um site dentro da ZeroNet o conteúdo do mesmo é distribuído entre os peer (nós) da rede e ficará visível para aqueles que o acessarem, passando estes também a distribuir o conteúdo espalhando-o pela rede como um todo. Isso significa que após um conteúdo ser publicado dentro da rede é IMPOSSÍVEL ser deletado seja qual for o indivíduo ou entidade, ao menos que seja o detentor da chave privada correspondente.

Na ZeroNet não há censura e muito menos restrições de ideias. Qualquer usuário pode publicar o que quiser e terá a total certeza que ninguém irá restringir sua liberdade como indivíduo.


COMO USAR A ZERONET?

A ZeroNet pode ser acessada através de qualquer navegador de internet convencional (Chrome, Firefox, Opera, etc) necessitando apenas de um script que funciona como uma espécie de host local que é disponibilizado no site oficial do projeto: www.zeronet.io

Disponível para Windows, Linux e Mac para funcionar basta executar o script que automaticamente a página inicial será aberta no navegador padrão. Os sites e serviços da ZeroNet estarão localizado na barra lateral do site.


Valeu pessoal, até a próxima!
Compartilhe: